Com alta dos combustíveis,United reduz frota e demite

A United Airlines, segunda maior companhia aérea dos Estados Unidos, está reduzindo sua frota, suas operações e cerca de 1,1 mil postos de trabalho para poder competir no ambiente de preços recordes de combustíveis e de desaceleração econômica. A United é a última grande companhia americana a anunciar redução de tamanho ante a escalada dos preços do petróleo. Na segunda-feira, a International Air Transport Association (Iata) previu que suas 230 companhias afiliadas terão perdas de pelo menos US$ 2,3 bilhões neste ano por causa dos preços dos combustíveis, que mais que dobraram em 2007.A companhia informou que os preços atuais geraram um "desafio" de mais de US$ 3 bilhões e que, com essas medidas, ele será superado em 2009, considerando que as outras empresas tomarão atitudes similares. "A situação exige que nós e todo o setor atuemos de forma decidida e responsável. Na United, continuamos reduzindo custos e aumentando investimentos para responder ao preço recorde dos combustíveis e à desafiadora situação econômica", disse o presidente da United, Glenn Tilton.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.