Com anúncio do PIB, funcionários do IBGE querem fim d mal-esta

Técnicos e economistas do IBGEtiveram mais um motivo para comemorar o bom resultado do PIB dopaís divulgado nesta quarta-feira: com ele, deve chegar ao fimo mal-estar causado por prognósticos do ministro da Fazendafeitos na semana passada. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística informouque a economia brasileira cresceu 5,4 por cento em 2007. Nasemana passada, o ministro Guido Mantega havia antecipado que ocrescimento ficou entre 5,2 e 5,3 por cento. A indicação gerou incômodo no instituto e uma enxurrada deligações cobrando explicações do órgão, que foi obrigado asoltar uma nota oficial. "Foi um mal-estar danado... Colocou em dúvida a preservaçãodas informações, mas garanto que ele (Mantega) não sabia denada", afirmou um funcionário do IBGE, que pediu para não seridentificado. Os técnicos envolvidos na divulgação do PIB já estãoadotando novos procedimentos para evitar comentários que possamcolocar em dúvida o sigilo sobre os resultados. "Já ficoudecidido que na véspera da decisão do PIB a gente não fala comjornalista, Fazenda ou Planejamento", acrescentou ofuncionário. O órgão é obrigado a enviar duas horas antes da divulgaçãopública os dados de suas pesquisas conjunturais para a equipeeconômica do governo. No fim de 2007, uma suspeita de vazamento de informaçõessobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) játinha causado desconforto no IBGE. Na ocasião, os dados eramrepassados ao governo na véspera das divulgações. (Por Rodrigo Viga Gaier)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.