Com atividade fraca, vendas no varejo caem 0,7% em junho

Após registrar alta em maio, vendas voltaram a cair, desta vez no piso das estimativas dos analistas; no varejo ampliado, que inclui material de construção e veículos, as vendas recuaram 3,6%

Daniela Amorim, Agência Estado

14 de agosto de 2014 | 09h00

RIO - Após ter registrado alta em maio, as vendas do comércio varejista caíram 0,7% em junho na série com ajuste sazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio no piso do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que esperavam desde uma queda de 0,70% a uma alta de 0,90%, com mediana positiva de 0,40%. A queda de 0,7% foi o pior resultado desde maio de 2012, quando a taxa recuou 0,8%. 

Na comparação com junho do ano passado, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 0,8% em junho deste ano. Nesse confronto, o resultado também ficou no piso das projeções, que variavam de expansão de 0,80% a 4,80%, com mediana de 3,50%. Até junho, as vendas do varejo restrito acumulam alta de 4,2% no ano e aumentam 4,9% nos últimos 12 meses.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 3,6% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal, o pior desempenho desde setembro de 2012, quando o volume vendido tinha encolhido 9,7%. O recuo é maior do que esperavam os analistas que projetaram desde uma queda de 3% a crescimento de 0,20%, com mediana negativa de 1,01%.

Na comparação com junho do ano passado, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 6,1% em junho deste ano. Nesse confronto, o resultado também é pior do que esperado já que as projeções variavam de um recuo de 0,20% a 4,30%, com mediana negativa de 2,10%.

Até junho, as vendas do comércio varejista ampliado acumulam alta de 0,1% no ano e aumento de 1,9% nos últimos 12 meses. 

Automóveis. O volume vendido pela atividade de veículos e motos, partes e peças teve queda de 12,9% em junho ante maio, o pior resultado do setor desde setembro de 2012, quando as vendas caíram 25,4%. O movimento puxou a queda de 3,6% nas vendas do varejo ampliado no período. Mas também houve contribuição negativa do recuo de 3,9% registrado pela atividade de material de construção, na passagem de maio para junho. 

Tendência. O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito caiu 0,2% no trimestre encerrado em junho. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas caiu 1,4% no trimestre encerrado em junho.

Tudo o que sabemos sobre:
vendasvarejocomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.