Com aumento do consumo, PIB da Argentina cresce 0,5% no 1º trimestre

Em comparação com o fim do ano passado, contudo, a economia argentina encolheu 0,7%; desde que assumiu a presidêndia, Macri tenta resgatar credibilidade do instituto de estatísticas do país

O Estado de S.Paulo

29 Junho 2016 | 19h38

A economia da Argentina apresentou um ligeiro crescimento no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, com um aumento do consumo no setor público e privado, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira, 29, pelo governo do país. 

A agência nacional de estatísticas, Indec, disse que o Produto Interno Bruto (PIB) da Argentina cresceu 0,5% no primeiro trimestre, ante o mesmo período de 2015. O consumo público avançou 2,68%, enquanto o consumo privado subiu 1,08%, segundo a agência.

Na comparação com o último trimestre do ano passado, a economia argentina contraiu 0,7% nos primeiros três meses de 2016.

Desde que assumiu a presidência em dezembro, o presidente Maurício Macri procurou restaurar a confiança do Indec, o que é visto como uma reforma vital das políticas da ex-presidente Cristina Kirchner. A reputação da agência foi abalada em razão de anos de suposta manipulação de dados econômicos pela administração Kirchner.

O Indec disse que o setor de pesca avançou 7,5% no primeiro trimestre, e os setores de eletricidade, gás e água avançou 1,02%. As atividades de transporte e comunicação expandiram 4,17%.

O setor agrícola recuou 5,06% no mesmo período, enquanto o de mineração caía 3,29%, e o industrial recuava 1,62%.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera que a economia da Argentina encolha 1% neste ano e avance 2,8% em 2017. As informações são da Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.