Com Bompreço, Wal-Mart passa para 3º entre supermercados

A confirmação nesta madrugada da aquisição da rede nordestina Bompreço, controlada pela companhia holandesa Royal Ahold, pela gigante norte-americana Wal-Mart, vai mudar a configuração do mercado brasileiro de supermercados, sem, contudo, ameaçar as empresas líderes do setor. Levando em conta os valores fechados de 2002, apurados pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o Wal-Mart, que ocupava o sexto lugar na lista das companhias de maior faturamento do País, passará para o terceiro lugar, posto que pertencia ao Bompreço, pois vai atingir um volume de vendas de quase R$ 5 bilhões. Com 25 unidades no Brasil, o Wal-Mart fatura cerca de R$ 1,7 bilhão. Já o Bompreço contabilizou quase R$ 3,5 bilhões no ano passado. Ranking Mesmo com este salto, a empresa ainda ficará distante dos primeiros colocados do ranking: a Companhia Brasileira de Distribuição (Grupo Pão de Açúcar) e o Carrefour. O Grupo Pão de Açúcar, que se consolidou há três anos com a maior empresa brasileira de auto-serviço, fatura aproximadamente R$ 12 bilhões e é seguida de perto pela francesa, cujo movimento totaliza cerca de R$ 10 bilhões, ou seja quase o dobro do que o Wal-Mart deve passar a registrar. Com relação às demais posições do ranking, a situação ainda está indefinida por causa da pendência com relação à fusão entre as operações do Pão de Açúcar no Rio de Janeiro e a Sendas, a ser julgada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A nova companhia, caso se confirme, deve faturar R$ 3,5 bilhões e ficaria em quarto lugar na lista, empurrando o grupo português Sonae, que movimenta R$ 3,34 bilhões, para o quinto posto. Caso a operação seja vetada, o Sonae permanece no quarto lugar e a Sendas, no quinto, pois sem o Pão de Açúcar seu faturamento gira em torno de R$ 2,5 bilhões. Os resultados de toda esta movimentação, entretanto, só serão conhecidos no ano que vem, quando a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) fechará os números referentes a 2004. Em abril deste ano, a entidade apresenta o ranking de 2003, que ainda não refletirá os resultados das recentes transações.

Agencia Estado,

01 Março 2004 | 16h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.