Com brincadeira de mau gosto, Mantega lança parcerias

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, apresentou hoje o programa Parceria Público-Privada (PPP) para representantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, em São Paulo, com uma brincadeira de mau gosto: "O lançamento do PPP nada tem a ver com o de Alcântara (referindo-se a tragédia ocorrida este ano na base espacial de Alcântara, quando 21 pessoas morreram)". Ele informou que o PPP deve privilegiar os setores de transporte, saneamento, energia elétrica e petróleo. O ministro informou que nestes projetos caberá ao Estado planejar e ao setor privado executar. Para ele, os contratos darão garantia aos parceiros privados quanto a segurança dos investimento, inclusive na alternância de poder, uma vez que esses investimentos são de 20 a 30 anos.De acordo com o ministro do Planejamento, a trajetória de crescimento só está começando e que não há perigo "de bolha de consumo, que estoura na primeira esquina". Ele citou como melhora na economia as baixas taxas de inflação, a volta da confiança empresarial, perspectivas de aprovação das reformas previdenciária e tributária, um superávit da balança comercial de US$ 20 bilhões, alta de 56% no índice da bolsa paulista e crescimento industrial de 1,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.