Com crédito tributário, lucro da TIM sobe 164%

Graças a uma compensação fiscal no valor de R$ 160,2 milhões, a TIM Participações fechou 2008 com lucro líquido de R$ 180,1 milhões, resultado164% acima do de 2007. No ano passado, a receita líquida da empresa cresceu apenas 5,1%, para R$ 13 bilhões, abaixo da expectativa que havia sido traçada pela empresa de crescer 7%. Apesar das dificuldades atravessadas em 2008, a TIM Participações espera que sua receita volte a crescer dois dígitos ainda no segundo semestre deste ano. A companhia manteve o plano de investir R$ 2,3 bilhões no País em 2009. "Desse total, 60% serão destinados à rede, 20% à tecnologia da informação e 20% a comodatos de aparelhos, principalmente para o setor corporativo", disse ontem o presidente da empresa, Luca Luciani. Em meio a mudanças em sua diretoria executiva e à busca por melhores resultados, Luciani anunciou que a empresa fará um reposicionamento da marca. O plano terá como prioridade melhorar o fluxo de caixa da empresa, mas também passará por mudanças na estratégia comercial e de força de venda da companhia. Uma das alternativas encontradas pela TIM para melhorar seu fluxo de caixa está na redução de gastos com aluguel de infraestrutura e interconexão. Luciani admitiu que a compra da Intelig representaria economia nos custos de rede e de interconexão. "A partir do momento em que percebemos que estamos gastando mais de R$ 1 bilhão com interconexão, concluímos que algo precisa ser feito", disse. Ele evitou, no entanto, dar mais detalhes sobre sua negociação com a Intelig. O primeiro passo da política mais agressiva de captação de clientes da TIM começa amanhã, quando a empresa lança o primeiro plano pré-pago de acesso à banda larga 3G do mercado (TIM Web pré-pago). O serviço será voltado ao usuário eventual de banda larga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.