Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Com crise, desemprego e renda ficam estáveis em novembro

Taxa de desocupados aumentou de 7,5% para 7,6% , enquanto o rendimento do trabalhador cresceu 0,9%

Jacqueline Farid, da AE,

19 de dezembro de 2008 | 09h06

A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou praticamente estável de novembro para outubro deste ano. O índice ficou em 7,6% no mês passado, ante 7,5% em outubro, segundo divulgou Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira, 19. O rendimento médio real dos trabalhadores ficou em R$ 1.273,60 em novembro, com alta de 0,9% ante outubro.   Veja também: Taxa de desocupados em SP é a menor da série histórica Lula nega que governo queira mudar leis trabalhistas Nenhum empresário tem motivo para demitir, diz Lula Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    Em comparação com novembro do ano passado, a taxa de desemprego havia sido de 8,2%. A renda subiu 4,0% na comparação com novembro de 2007 Em novembro do ano passado. O resultado veio no teto do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (7,2% a 7,6%) e também acima da mediana das expectativas (7,30%.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoIBGEcrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.