Com crise, exportações têm maior tombo desde 1950

Vendas externas brasileiras caíram 22,2% em 2009, como reflexo da retração da demanda mundial

Adriana Fernandes e Sandra Manfrini, da Agência Estado,

04 Janeiro 2010 | 12h41

O impacto da crise financeira internacional no comércio mundial provocou o maior tombo das exportações brasileiras em um único ano, desde 1950, quando teve início a série histórica do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) sobre a evolução do comércio exterior brasileiro. As exportações brasileiras caíram 22,2% em 2009, como reflexo da retração da demanda mundial.

 

VEJA TAMBÉM:
Superávit da balança comercial é o menor desde 2002

O pior ano para as exportações brasileiras, até então, tinha sido em 1952, quando as vendas externas do País caíram 19,8% em relação ao ano anterior, segundo os dados do MDIC. Em 1999, ano de crise econômica no Brasil que levou à mudança do regime cambial, as exportações haviam caído 6,1%, o pior desempenho desde o início do Plano Real. Em 1990, no início do governo Collor, as exportações tiveram queda de 8,6% também em relação ao ano anterior.

 

O desempenho das exportações em 2009, que atingiram US$ 152,252 bilhões, também ficou abaixo dos US$ 160 bilhões projetados inicialmente pelo MDIC. A área técnica já tinha prevenido, no ano passado, que não seria possível atingir esse saldo das exportações.

 

Com esse desempenho das exportações, o saldo comercial de 2009, que foi positivo em US$ 24,615 bilhões, é o pior superávit registrado pela balança comercial brasileira desde 2002, quando o saldo foi positivo em US$ 13,195 bilhões.

 

Muito mais que o saldo total da balança comercial, o desempenho das exportações é fundamental para um retrato da economia. Em 2009, o que sustentou a atividade econômica foi o mercado interno, responsável pela retomada do crescimento econômico depois dos impactos da crise financeira internacional.

 

Com relação às importações, que fecharam 2009 em US$ 127,637 bilhões, foi verificada uma queda de 25,3% em relação ao ano anterior. Esse é o pior desempenho desde 1953, quando as importações registraram queda de 33,5% ante o ano anterior.

 

Para 2010, o Banco Central prevê exportações de US$ 170 bilhões e importações de US$ 155 bilhões, o que resultará em um superávit menor, de US$ 15 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
exportações balança comercial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.