Com crise, Lula quer responsabilidade de aliados no Congresso

Presidente pede em jantar que base garanta apoio a medidas que o governo considere necessárias, diz líder

João Domingos, de O Estado de S. Paulo,

09 Outubro 2008 | 09h49

A crise financeira internacional e seus reflexos no Brasil também foram temas de debate no jantar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve na quarta-feira, 8, no Palácio da Alvorada, com os dirigentes do PMDB. A avaliação feita pelo presidente, segundo relato do líder do governo no Senado, senador Romero Jucá, foi a de que a base governista deve garantir apoio, no Congresso, a medidas contra a crise que o governo considere necessárias. O presidente, observou Jucá, avalia que o momento de disputa eleitoral já passou e que confia na responsabilidade da base parlamentar de apoio ao governo.   Veja também: Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Ajuda de BCs mostra que crise é mais grave, diz economista Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise Entenda o pacote anticrise que passou no Senado dos EUA  A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil  Entenda a crise nos EUA    A uma pergunta de um dos participantes do jantar sobre a possibilidade de que os juros no Brasil venham a ser reduzidos, acompanhando o movimento coordenado feito ontem pelos governos de vários países, Lula observou que as decisões sobre os juros são da competência do Banco Central (BC). O presidente salientou, segundo Jucá, que não pode haver interferência no trabalho do BC.   Além de Jucá, estiveram no jantar com Lula no Alvorada os ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, e da Justiça, Tarso Genro; o senador José Sarney (PMDB-AP), o líder do PMDB no Senado, Waldir Raupp (RO), o presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), a líder do governo no Congresso, senadora Roseana Sarney (MA), e o líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN).

Mais conteúdo sobre:
Lula crise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.