Com dívida de US$ 1 bilhão, Blockbuster pede concordata nos EUA

Empresa passará por reestruturação; Medida não afeta operações no Brasil.

BBC Brasil, BBC

23 de setembro de 2010 | 17h11

A rede de locadoras de filmes americana Blockbuster pediu concordata nesta quinta-feira nos Estados Unidos.

Com o pedido, a Blockbuster deve ser submetida ao previsto no Capítulo 11 da lei americana de falências, que estabelece um prazo para que empresas nessa situação coloquem em ordem suas finanças.

Detentores de títulos da Blockbuster concordaram em emprestar US$ 125 milhões para ajudar no processo de reestruturação.

Se bem-sucedido, o plano da companhia reduzirá sua dívida de mais de US$ 1 bilhão para cerca de US$ 100 milhões.

Brasil

A empresa já havia anunciado que fecharia cerca de mil de suas três mil unidades nos Estados Unidos. Segundo o jornal The Wall Street Journal, a concordata deve levar ao fechamento de entre 500 a 800 outras lojas.

O funcionamento das demais lojas nos Estados Unidos seguirá normalmente, mas a empresa anunciou que encerrará suas atividades na Argentina.

A concordata americana não afeta as atividades no Brasil, onde as Lojas Americanas têm o direito sobre a marca Blockbuster sem ligação com a empresa nos Estados Unidos.

A Blockbuster foi fundada em 1985 e ainda na década de 80 se tornou uma das maiores empresas mundiais do setor.

O analista de negócios da BBC Russell Padmore disse que a Blockbuster é vítima da tendência crescente do público americano de baixar filmes pela internet ou de usar empresas que entregam DVDs pelo correio. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.