''Com esforço, dá para conquistar''

Melhora nem sempre é reconhecida

Ana Paula Lacerda, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2008 | 00h00

O auxiliar de manutenção Marcelo dos Santos está comemorando uma vitória. "Estava empregado em uma ONG (organização não-governamental) que me deu muita força e, com o que aprendi lá e mais um curso técnico, vou mudar para um emprego onde vou ganhar o dobro, fazendo serviços elétricos", conta. Santos ajuda a família de 7 pessoas, paga a faculdade da irmã e bancou melhorias na casa onde moram. "Com esforço e estudo, está dando para conquistar coisas que antes pareciam distantes."A auxiliar de escritório Elaine Cristina e o marido Elias Dantas concordam que a situação melhorou um pouco, mas acham que isso se deve mais ao esforço pessoal do que ao cenário econômico. "Aumento em salário foi pouco, mas surgiram as facilidades de crédito, e, se controlar as finanças, é possível viver melhor", diz Elaine. O casal pesquisava preços de móveis para a casa nova.O cortador de equipamentos Edilson Mendanha não percebeu melhorias. "Só recebi o aumento do sindicato, que foi menor que a inflação." O aparelho de DVD foi comprado com o dinheiro da barraca de milho que monta em quermesses, para obter renda extra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.