Com estilo e inovação, mercado de óculos espera crescer 25% este ano

Licenciamentos de marcas e nomes famosos, novos materiais e sofisticação garantem faturamento de R$ 24 bilhões este ano

Mateus Fagundes, especial para o Estadão,

29 de maio de 2013 | 19h15

 

SÃO PAULO - Detalhes em ouro branco e cristais, lentes de titânio e um inusitado fechamento da armação pela parte dianteira com por um ímã. Há muito tempo os óculos deixaram de lado o formato sóbrio para ganhar ares de sofisticação e estravagância. A estética importa mais que o grau das lentes.

Hoje, eles se tornaram itens obrigatórios para quem quer estar em dia com a moda. Dê olho neste mercado, que no ano passado movimentou R$ 19,5 bilhões no Brasil, até mesmo a marca UFC, que licencia produtos ligados às artes marciais mistas, tem agora produtos exclusivos.

Os lutadores entram em um ringue em que empresas consolidadas já fabricam produtos ligados às celebridades e marcas conhecidas por outros ramos de atuação. Óculos licenciados por marcas famosas como Playboy e Coca-Cola ou por personalidades como a modelo e apresentadora Ana Hickmann são exemplos desse movimento.

A Associação Brasileira da Indústria Óptica, que congrega as empresas do ramo no País, estima que o faturamento deve saltar dos atuais R% 19,5 bilhões para R$ 24 bilhões este ano. Os exemplos mostrados na galeria de fotos custam entre R$ 150 até R$ 2.800.

Tudo o que sabemos sobre:
óculosestilomoda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.