R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Com Fed, Bovespa sobe e volta aos 40 mil pontos

BC-americano anunciou um programa para compra de títulos americanos em um montante de até US$ 300 bi

Claudia Violante, da Agência Estado,

18 de março de 2009 | 18h04

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou ao patamar de 40 mil pontos, fechando no maior nível desde o último dia 16 de fevereiro (41.841,32 pontos), graças ao Federal Reserve. O Banco Central norte-americano anunciou hoje um programa para compra de títulos americanos em um montante de até US$ 300 bilhões com o objetivo de ajudar a melhorar as condições nos mercados de crédito privado. A decisão fez com que o Dow Jones virasse para cima e puxasse a bolsa brasileira.

 

Veja também:

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

especialDicionário da crise 

 

No final, a Bovespa terminou a sessão com ganhos de 1,60%, aos 40.142,29 pontos. Na mínima do dia, atingiu os 38.850 pontos (-1,67%) e, na máxima, os 40.551 pontos (+2,63%). No mês, acumula ganhos de 5,13% e, no ano, de 6,90%. O giro financeiro totalizou R$ 4,581 bilhões. Os dados são preliminares.

 

Além da compra de títulos, o Fed também informou que vai aumentar mais o tamanho do seu balanço patrimonial através da compra de um adicional de até US$ 750 bilhões em ativos lastreados em hipotecas de agência e aumentar a compra de dívida de agência este ano em até US$ 100 bilhões, para um total de até US$ 200 bilhões. Na decisão sobre os juros, o BC dos EUA não surpreendeu: a taxa continuará oscilando numa faixa de 0% a 0,25%, enquanto a taxa de redesconto seguirá em 0,50% ao ano.

 

A reação ao anúncio foi rápida: o Dow Jones, que era o único índice que ainda caía nos EUA, virou e passou a subir. Fechou em alta de 1,23%, aos 7.486,58 pontos, enquanto o S&P avançou 2,09%, aos 794,35 pontos. Nasdaq, que teve alta de 1,99%, aos 1.491,22 pontos, foi o dia todo beneficiado pelos rumores de que a IBM tem interesse em comprar a Sun Microsystems.

 

"Hoje é um dia histórico. O mercado esperava uma ação mais séria do Federal Reserve e ela veio hoje", justificou o superintendente do Banif, Raffi Dokuzian. O gestor de recursos da Um Investimentos Hersz Fermann explicou que a ação do Fed é muito importante porque corta as taxas de juros de longo prazo, as mais estáveis.

 

Destaques

 

Embora a Bovespa tenha voltado aos 40 mil pontos, seu desempenho foi contido pelas ações da Vale, que recuaram na esteira das notícias vindas da Ásia. Vale ON caiu 0,99% e PNA, 0,33%. O Banco Mundial revisou para baixo hoje sua previsão para o crescimento da China de 7,5% para 6,5% em 2009. Também não agradou a notícia de que a produção de aço bruto japonesa caiu 44,2% em fevereiro ante mesmo mês do ano passado, a maior queda em 60 anos. Em relação a janeiro, a produção caiu 14,2% em fevereiro.

 

As ações das siderúrgicas domésticas, no entanto, saíram do negativo para o positivo com o fluxo de compra pós-Fed. Usiminas foi a menor alta do grupo, já que a empresa revisou para baixo sua expectativa de produção de aço bruto em 2009 e também avisou que as vendas no primeiro trimestre foram piores do que as dos últimos três meses de 2008.

 

Petrobras terminou em alta de 1,16% na ação ON e 1,14% na PN, embora o petróleo tenha caído no exterior. O contrato para abril negociado na Nymex recuou 2,07%, US$ 48,14, puxado pelo aumento acima do esperado nos estoques do petróleo nos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaMercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.