Com feriado nos EUA, dólar cai em meio a fraco giro financeiro

O feriado ontem nos Estados Unidos em homenagem a Martin Luther King Jr. fez o mercado de câmbio global ficar praticamente sem volume de negócios e o dólar caiu levemente ante moedas de países emergentes. No Brasil não foi diferente e a divisa norte-americana encerrou a sessão em baixa de 0,18% no balcão, a R$ 1,6830. O Banco Central fez apenas um leilão de compra de dólares no mercado à vista, mas não reverteu a queda das cotações. Contudo, o recuo da divisa no mercado local continua limitado pela expectativa de que o governo poderá lançar novas medidas visando conter a apreciação do real.

Márcio Rodrigues, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2011 | 00h00

Na sexta-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, avisou ao mercado que durante as suas férias - que começaram ontem e vão até 27 de janeiro - , poderá determinar medidas para conter o câmbio. ''Continuaremos tomando medidas. Mesmo de férias, nada impede que pegue o telefone e solte uma medida'', afirmou.

Neste começo de ano, o governo já criou um compulsório de 60% sobre a posição vendida em dólares dos bancos que exceder a US$ 3 bilhões ou o patrimônio de referência das instituições. Na semana passada, o Banco Central foi autorizado a operar os recursos do Fundo Soberano do Brasil (FSB) no mercado à vista e futuro. Assim, na última 6ª feira, o BC vendeu em leilão quase US$ 1 bilhão em contratos de swap cambial reverso - operação em que assume posição comprada em dólar no mercado futuro - e a moeda subiu 1,02%.

A Bovespa caiu 0,47%, aos 70.609,07 pontos, em meio ao vencimento de opções sobre ações, que elevou o volume de negócios.

Os juros futuros seguiram em alta à espera da decisão para a taxa Selic, amanhã, do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.