Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Com fusão, Infraero aceita trocar dívida por ações

A Infraero, administradora dos aeroportos brasileiros, informou nesta sexta-feira que aceita transformar as dívidas da Gol, Transbrasil e Vasp em ações, se as três companhias aéreas se unirem numa nova empresa. ?Aeroporto não vive sem avião e cabe a nós fazer o possível para facilitar a vida da aviação comercial, que enfrenta uma crise no mundo inteiro?, disse o presidente da Infraero, Carlos Wilson Campos. ?Já tomamos essa iniciativa quando a Varig e a TAM decidiram unir-se.?Campos defendeu a extinção de linhas de grande curso nos aeroportos Santos Dumont (Rio), Congonhas (São Paulo) e Pampulha (Belo Horizonte). ?Em todo o mundo as grandes capitais têm um aeroporto central para vôos de ponte aérea e um internacional para viagens de longa distância?, disse. ?Precisamos restabelecer isso no Brasil, aumentando o uso do Galeão (RJ), Viracopos (SP) e Confins (MG).?Ele anunciou a intenção de transformar as unidades de Confins, Galeão, Petrolina (PE), São José dos Campos (SP) e Campo Grande (MS) em terminais de carga, para exportar a produção regional. Mas, ressaltou que para isso é preciso estabelecer parcerias com os governo municipais e estaduais, melhorando o acesso a estes aeroportos.

Agencia Estado,

26 de setembro de 2003 | 17h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.