Federico Gambarini/EFE
Federico Gambarini/EFE

Com greve de comissários de bordo, voo da Lufthansa entre Rio e Frankfurt é cancelado

Funcionários conseguiram autorização da Justiça alemã para fazer paralisação de 48 horas por reajustes salariais

Felipe Laurence, especial para o Estado

07 de novembro de 2019 | 14h39

Um voo da companhia aérea alemã Lufthansa que sairia do Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, em direção a Frankfurt, na Alemanha, nesta quinta-feira, 7, foi cancelado por causa da greve que os comissários de bordo da empresa estão fazendo na Europa. Os passageiros foram realocados para o voo da empresa que sairá do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), no início da noite.

"Por conta da greve, a Lufthansa foi obrigada a cancelar o voo Rio-Frankfurt", diz a empresa em comunicado enviado ao Estado. "Nós lamentamos a inconveniência que a greve pode ter causado para nossos clientes e trabalhamos com nossos colegas em Frankfurt e outras localidades para oferecer alternativas a eles."

O sindicato dos comissários de bordo da Lufthansa optou por uma greve de dois dias após negociações por reajustes salariais e pensões terem sido interrompidas e um tribunal da Alemanha autorizar a paralisação. "O tribunal concordou conosco em todos os aspectos legais e rejeitou as alegações da Lufthansa", disse Daniel Flohr, vice-presidente da organização.

Segundo a companhia aérea, mundialmente a greve vai provocar o cancelamento de 1.300 voos e afetar 180 mil passageiros. O volume representa um a cada cinco dos seis mil voos planejados pela Lufthansa neste período de paralisação.

A empresa também informou que suas subsidiárias, Eurowings, Germanwings, Sunexpress, Lufthansa Cityline, SWISS, Edelweiss, Austrian Airlines, Air Dolomiti e Brussels Airlines, não são afetadas pela greve por seus comissários não serem representados pelo sindicato. / Com informações da Reuters 

Tudo o que sabemos sobre:
Lufthansagreveaviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.