Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Com greve em 5 aeroportos, 12% dos voos registram atrasos em todo o País

Apesar dos atrasos, o movimento é normal nos aeroportos Tom Jobim, no Rio, Confins, em Belo Horizonte, de Fortaleza, Brasília e Salvador

Solange Spigliatti, da Central de Informações,

23 de dezembro de 2011 | 07h56

Com a paralisação dos aeroviários em cinco aeroportos do País desde a tarde de ontem, 12% dos voos nacionais registram atrasos às 7h dessa sexta-feira, 23. A informação é da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Entre os 458 voos domésticos previstos para decolar até esse horário, 54 (11.8%) partiram com atrasos de mais de meia hora. Outros 11 (2,4 %) voos estavam atrasados no horário entre 6 e 7 horas e 17 (3,7 %) foram cancelados.

Apesar dos atrasos, o movimento é normal nos aeroportos Tom Jobim, no Rio, Confins, em Belo Horizonte, de Fortaleza, Brasília e Salvador.

Em Brasília, o movimento de passageiros estava normal para o período, sem grandes filas no saguão. Entre os 11 voos programados, cinco registraram atrasos e nenhum foi cancelado.

Em Belo Horizonte, entre os 15 voos previstos, dois estavam atrasados e nenhum foi cancelado. Em Fortaleza, nenhum voo foi cancelado e cinco registraram atrasos entre os 23 previstos. Em Salvador, um voo foi cancelado e três tiveram alteração de horário entre os 33 programados e no Rio, quatro voos estavam atrasados e um foi cancelado, entre os 16 programados.

Em São Paulo, onde os aeronautas e aeroviários não aderiram à greve, o movimento também estava normal. Em Congonhas, na zona sul da cidade, entre os 19 previstos, um foi cancelado e não havia registro de atrasos. Em Cumbica, do total de 44 previstos, nove registram atrasos e cinco foram cancelados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.