R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Com IPI menor, preço do material de construção cairá até 8,5%

"Essa medida vai aquecer a economia e mudar o ânimo dos consumidores", afirma diretor da Dicico

Renée Pereira, de O Estado de S. Paulo,

30 de março de 2009 | 18h43

A redução do imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado em 30 itens de material de construção, anunciada nesta segunda-feira, 30, pelo governo federal, deverá ser repassada imediatamente para o consumidor em algumas redes de varejo, como Telhanorte e Dicico. Na média, o repasse ficará entre 5% e 8,5%, segundo estimativas da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco).

 

Veja também:

Governo reduz imposto sobre moto e prorroga IPI menor

especialEntenda as medidas para a construção e o setor automotivo

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

"O anúncio de hoje complementa as demais medidas anunciadas na semana passada, como o pacote habitacional e vai dar mais segurança à população", afirmou o presidente da entidade, Claudio Conz, destacando que o setor teve uma queda de 12% nas vendas do primeiro bimestre.

 

Para atrair os consumidores, as redes de varejo passaram o dia de hoje correndo para fazer o anúncio aos consumidores. As campanhas com a redução do IPI sobre produtos já começam a partir de amanhã em vários meios de comunicação, como é o caso da Dicico.

 

Na Telhanorte, a campanha ainda é segredo, mas todos os produtos com redução de IPI serão destacados na loja. "Essa medida vai aquecer a economia e mudar o ânimo dos consumidores", afirma o diretor de marketing da Dicico, Claudio Fortuna.

 

Medidas

 

O governo ainda anunciou nesta segunda, um acordo para a prorrogação do IPI menor sobre carros e caminhões por três meses e a redução do Cofins para motos no País. Além disso, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o IPI e o PIS/Cofins sobre o cigarro serão elevados, resultando em uma alta de 30% no preço do produto. A ideia é que esse aumento compense a renúncia fiscal de R$ 1,5 bilhão gerada pelas medidas anunciadas nesta segunda pelo governo para combater os efeitos da crise mundial no Brasil.

 

Mantega informou que o corte do IPI inclui agora um acordo para a manutenção do emprego no setor. "Esta medida foi muito bem-sucedida, porque houve uma recuperação rápida da atividade... a indústria automotiva é importante para o País porque é uma cadeia produtora que chega a representar 23% do PIB industrial", disse Mantega.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.