Divulgação
Divulgação

Com leilão da Celg, governo espera arrecadar pelo menos R$ 2,8 bilhões

Sessão pública será realizada no dia 19 de agosto, às 15h, na sede da BM&FBovespa; distribuidora é controlada por Eletrobrás e pelo Estado de Goiás

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

24 Junho 2016 | 10h20

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta sexta-feira o edital do leilão da distribuidora Celg, controlada por Eletrobrás e Governo do Estado de Goiás. A sessão pública do leilão será realizada no dia 19 de agosto às 15 horas na sede da BM&FBovespa, na capital paulista. De acordo com o edital, o montante global mínimo que o governo pretende arrecadar com a venda da distribuidora será de R$ 2,8 bilhões, conforme já informado pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

O edital, que está publicado no Diário Oficial da União (DOU), informa que o objeto do leilão será um lote único de 142.933.812 ações ordinárias, correspondente a 69.085.140 ações da Eletrobrás, e 73.848.672 ações da Celgpar, empresa do governo goiano, todas sem valor nominal, devidamente integralizadas, representativas de aproximadamente 94,8393% do capital social com direito a voto e total da Celg-D.

O processo de desestatização da empresa será realizado em duas etapas, o leilão de 94,8393% do capital social e a oferta de 10% de capital social total e votante de titularidade da Eletrobras aos empregados e aposentados.

O documento publicado ainda determina que a garantia da proposta deverá ser apresentada em caução em dinheiro, títulos da dívida pública federal, seguro-garantia ou fiança bancária, conforme instruções do Manual BM&FBovespa de Procedimentos do Leilão, no valor de R$ 26,7 milhões, o equivalente a 1% do valor econômico mínimo definido no edital, que é de R$ 2,6 bilhões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.