Com leilões, BC assegura proteção ao mercado, diz Maciel

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, enfatizou as informações divulgadas nesta quinta-feira, 22, pela autoridade monetária a respeito da realização de leilões diários de swap cambial e de linha que começaram a ser feitos hoje, sexta, 23, e que estão previstos para durarem até o final do ano, no valor adicional de US$ 60 bilhões. "Em movimentos maiores de câmbio, é natural que os agentes procurem proteção e isso está presente nesta conjuntura. O BC tem oportunidade de manifestar que atuará assegurando essa proteção e também a liquidez dos mercados", disse.

CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

23 de agosto de 2013 | 13h01

Maciel lembrou que o anúncio de ontem trata apenas de oferta mínima e que atuações adicionais podem ser feitas a "qualquer momento" e sempre que o momento considerar necessário, conforme já indicava a nota do BC de ontem. Ele destacou que nada impede também que o programa possa ser prolongado além de 31 de dezembro. "O anúncio prévio contribui para que agentes tenham horizonte de planejamento. Isso também ajuda a reduzir a volatilidade", disse. "O BC está atuando para promover o pleno funcionamento do mercado e assegurar proteção cambial."

Ele afirmou ainda que a alta do dólar "encontra respostas no cenário internacional", envolvendo diversos países, e que não se trata de um fenômeno doméstico. Por isso, de acordo com ele, o BC vem atuando para promover liquidez ao mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarMaciel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.