EFE/EPA/YONHAP
EFE/EPA/YONHAP

R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Com nova rodada de tensões entre EUA e China, mercados internacionais despencam

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse acreditar que um "erro" cometido na China foi a causa da disseminação do coronavírus

Sergio Caldas de Felipe Siqueira, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2020 | 06h51

Em meio a uma nova rodada de tensões entre Estados Unidos e China, com o presidente americano, Donald Trump, dizendo que acredita que um "erro" do país asiático causou a pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, os mercados internacionais despencam, com quedas superiores a 4%, nesta segunda-feira, 4, tanto na Ásia, em que os mercados já encerraram as negociações, quanto na Europa.  

Na Ásia, a maior queda foi vista em Hong Kong, e, na Europa, o maior recuo, nas primeiras horas de pregão, está registrado em Paris, na França

Além da fala de Trump, soma-se ao cenário de instabilidade o que o Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, alegou. Segundom ele, há "enormes evidências" de que o surto começou em um laboratório na cidade chinesa Wuhan. Porém, alimentando uma tese que circula na Casa Branca há meses, Pompeo não apresentou provas que sustentassem a acusação. 

Bolsas da Ásia

As Bolsas asiáticas fecharam em baixa. No entanto, os principais mercados da região - do Japão e da China continental -, não operaram nesta segunda devido a feriados locais. O índice Hang Seng liderou as perdas na Ásia, com um tombo de 4,18% em Hong Kong, a 23.613,80 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi caiu 2,68% em Seul, a 1.895,37 pontos, e o Taiex recuou 2,47% em Taiwan, a 10.720,48 pontos.

Na Oceania, a Bolsa australiana destoou do tom negativo na Ásia, graças em parte ao forte desempenho do setor de tecnologia. O S&P/ASX 200 avançou 1,41% em Sydney, a 5.319,80 pontos. Apenas o segmento de tecnologia saltou 5%, à medida que a ação da Afterpay disparou 24% com notícia de que o conglomerado chinês Tencent adquiriu participação na empresa australiana de tecnologia financeira. 

Bolsas da Europa

As Bolsas europeias abriram o pregão desta segunda-feira em baixa. Logo mais, investidores vão acompanhar índices de atividade (PMIs) industriais da zona do euro e de países do bloco. Às 4h13, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres caía 0,57%, a de Paris recuava 3,34% e a de Frankfurt se desvalorizava 2,74%. Já em Milão, Madri e Lisboa, as perdas eram de 2,93%, 2,75% e 1,98%, respectivamente.

Petróleo

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa na madrugada desta segunda-feira. Às 4h25 (de Brasília), o barril do Brent para julho caía 1,25% na ICE, a US$ 26,11 o barril, enquanto o WTI para junho recuava 6,22% na Nymex, a US$ 18,55 o barril. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.