Com novo time, Itautec aposta em venda de PCs

Conhecida pelos sistemas de automação, empresa quer aproveitar o boom de consumo da classe C e se fortalecer no mercado de computadores

Naiana Oscar, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2010 | 00h00

Desde que assumiu a presidência da Itautec, em fevereiro, o executivo Mário Anseloni, ex- Hewllet Packard (HP), diz ter dedicado mais de mil horas só para montar a equipe de diretores que vai ajudá-lo a promover uma avalanche de mudanças na empresa de tecnologia do grupo Itaúsa.

Com uma atuação tímida no mercado, a companhia quer deixar de ser conhecida só pelos sistemas de automação bancária e ampliar a participação também na venda de computadores.

Anseloni assumiu a presidência da empresa no lugar de Guilherme Castilho, que estava interinamente no comando desde que Paulo Setúbal se afastou do cargo por problemas de saúde em 2008. "Meu primeiro desafio foi estruturar a diretoria e montar o novo time", conta. Entre agosto e julho ele conseguiu levar nove executivos para a Itautec, entre nomes da concorrência e do próprio grupo Itaú.

José Roberto Ferraz de Campos, por exemplo, deixou a vice-presidência executiva da Samsung para assumir a vice-presidência de computação da Itautec, cargo criado por Anseloni justamente para fortalecer a venda de PCs da empresa, que hoje representa 37% da receita, que fechou em R$ 2 bilhões no ano passado. "Achei que seria um desafio interessante", diz.

Está sob responsabilidade dele o mapeamento da presença dos produtos Itautec no varejo. "Algumas redes estão completamente equipadas com nossas máquinas, mas não têm o produto para oferecer aos clientes", explica Campos. Ele diz que a empresa não quer ficar de fora do boom de consumo vivido pela classe C e para isso é necessário que o cliente do computador pessoal encontre o produto nas lojas.

Vendas. O próprio Anseloni admitiu que uma das maiores deficiências da Itautec hoje é sua cobertura de vendas, que não chega a 35% do mercado. Até o fim do ano, ele promete ampliar em pelo menos 25% o número de vendedores diretos para atingir a meta de cobertura de 80%. A empresa tem R$ 100 milhões para investir nos novos projetos, em capacitação e na ampliação da fábrica em Jundiaí. Para desses recursos veio da venda da Tallard, distribuidora de equipamentos da Itautec, por R$ 69 milhões para a americana Avnet.

"Eles estão com planos bem agressivos e uma grande prova disso são os profissionais que foram levados para colocar essas metas em prática", diz o consultor Ivair Rodrigues, da IT Data. Depois de deixar a presidência da HP, segunda no ranking em vendas de computadores, Anseloni levou para a Itautec o engenheiro Lauro Marcos Lima Viana, que também trabalhava na multinacional e agora dirige as vendas corporativas da Itautec.

No ano passado, a empresa do grupo Itaú faturou cerca de R$ 2 bilhões. No varejo, com a venda PCs tem uma participação de 3,4%, bem distante da líder Positivo, que detém 30% desse mercado. "Não queremos ser líderes do setor agora. Esse, definitivamente, não é nosso objetivo", diz o presidente - primeiro em 30 anos de Itautec que não leva o sobrenome Setúbal. "Nossa meta é continuar crescendo onde já somos fortes e ampliar nosso portfólio de forma sustentável."

No segundo trimestre de 2010, o lucro líquido da empresa foi de R$ 15,2 milhões, um resultado que superou em 76% o lucro do mesmo período de 2009. O segmento de automação bancária, no entanto, continua puxando esse crescimento.

PARA LEMBRAR

A Itautec é uma das empresas mais antigas do setor de TI no Brasil, com 31 anos de atuação. Foi criada para prover soluções tecnológicas para o banco Itaú e se tornou uma das maiores do mundo na fabricação de equipamentos e na prestação de serviços na área de automação bancária e comercial. A empresa, controlada pela Itaúsa, é reconhecida como a principal sobrevivente da antiga reserva de mercado para a informática. Continua sendo forte em automação e no segmento corporativo, mas perdeu mercado na venda de computadores pessoais: tem uma participação de apenas 3,4% enquanto a líder Positivo abocanha 30% do setor.

Em fevereiro deste ano, a Itautec anunciou um novo processo de reestruturação interno para fortalecer a governança e acelerar o crescimento da empresa.

Expansão

25% é quanto a Itautec quer aumentar seu número de vendedores

R$ 100 mi é o valor que a empresa tem para investir em novos projetos

R$ 2 bi foi o faturamento da companhia no ano passado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.