Tânia Rego/Agência Brasil
Tânia Rego/Agência Brasil

Com pagamento atrasado, delegados de polícia iniciam operação padrão no Rio

Servidores estão com parte do pagamento de dezembro atrasado e ainda não receberam o 13º salário

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2017 | 12h44

RIO - Delegados da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro realizam operação padrão a partir deste sábado, 14, em protesto pelo atraso no pagamento de salários de ativos e inativos. A medida foi decidida na última quinta-feira, 12, em assembleia realizada pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Rio (Sindelpol-RJ), que representa a categoria.

Segundo o Sindelpol-RJ, o protesto é motivado pelo atraso nos salários referentes a dezembro e ao não pagamento do 13º salário, não apenas aos delegados mas também aos agentes da ativa e pensionistas. A categoria esperava receber os valores devidos na última sexta, dia 13, mas não houve pagamento.

Como consequência, a entidade determinou paralisação total das atividades nas delegacias de polícia do Estado do Rio por um período de quatro horas neste sábado, de 8h às 12h, com exceção de alguns serviços essenciais, como as atividades conduzidas pelas divisões de Homicídios e Anti-Sequestro, além de remoções de cadáver em via pública. A partir de domingo, está prevista paralisação total das atividades diariamente das 13h às 14h, até que o governo faça o pagamento do décimo terceiro salário.

Além disso, a partir do meio-dia deste sábado teria início a "Operação Basta", em que as delegacias passariam a registrar apenas flagrantes, termos circunstanciados, crimes violentos, crimes da lei Maria da Penha, perícias e crimes que exijam diligências urgentes. A operação padrão está prevista para se estender até que os salários sejam pagos, informou o sindicato.

Em nota, o comando da Polícia Civil informou que não se manifesta sobre decisões da entidade de classe, mas assegura que "os serviços emergenciais serão mantidos".

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.