Federico Gambarini/EFE
Federico Gambarini/EFE

Com pilotos em greve, Lufthansa cancela 1,7 mil voos

Paralisação fez a companhia cancelar milhares de trajetos também na semana passada

Dow Jones Newswires, O Estado de S.Paulo

28 Novembro 2016 | 16h32

BERLIM - A companhia aérea Deutsche Lufthansa afirmou nesta segunda-feira que irá cancelar mais de 1.700 voos nos próximos dois dias, após o principal sindicato de pilotos da empresa ampliar seus planos de greve por uma segunda semana. Na semana passada, a Lufthansa cancelou milhares de voos, ao longo de quatro dias de paralisações em meio à disputa com os funcionários. A greve já custou à empresa mais de US$ 20 milhões. A Lufthansa informou que 816 de seus 3 mil voos seriam cancelados na terça-feira, afetando 82 mil passageiros. No dia seguinte, 890 voos não serão realizados, com 98 mil passageiros afetados.

No fim do domingo, o principal sindicato de pilotos da empresa, Vereinigung Cockpit, disse que convocou os pilotos que operam voos de curta distância a não se apresentarem para trabalhar na terça-feira. O sindicato também pediu aos pilotos que operam as rotas mais longas e lucrativas que se unam à paralisação no dia seguinte.

A companhia aérea recorreu à Justiça alemã para bloquear a paralisação. Uma moção similar na semana passada foi rejeitada por outro tribunal. Nesta segunda-feira, um tribunal de Munique rejeitou o pedido da companhia de bloqueio na greve. A Lufthansa disse que avalia outros passos possíveis na esfera local no caso, mas que recorrerá.

Além dos custos imediatos, a corretora Goodbody disse que as reservas para o movimentado feriado de dezembro podem ser afetadas, pelo temor com mais greves.

A Lufthansa enfrenta uma série de greves de pilotos e tripulantes por causa de seus planos para cortar gastos e competir com as concorrentes de baixo custo. O negócio de curtas distâncias da empresa sofre com a concorrência de companhias como a Ryanair, enquanto as empresas do Oriente Médio roubam passageiros nas distâncias mais longas com preços mais baixos.

A Lufthansa lamentou a falta de diálogo do sindicato. Segundo a empresa, os seis dias de paralisação desde a semana passada provocam 4.461 cancelamentos de voos e atrapalham os planos de voo de mais de 525 mil passageiros.

Mais conteúdo sobre:
Lufthansa Justiça Ryanair

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.