Com poucos negócios, algodão cai 2,33% em NY

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2012 | 02h08

Os principais mercados de commodities agrícolas giraram pouco volume de negócios ontem em razão da passagem do furacão Sandy pelos Estados Unidos. No caso do algodão, por exemplo, menos de 20% do total de contratos para entrega em dezembro foram negociados ontem na Bolsa de Nova York. As cotações desse contrato recuaram 2,33%, fechando a 70,92 centavos de dólar por libra-peso. A oferta ampla vem pressionando os preços do algodão, assim como a interpretação baixista de dados gráficos. De acordo com o banco Credit Suisse, a desaceleração da economia mundial e o fato de os consumidores optarem muitas vezes por fibras sintéticas sinalizam um cenário de consumo global baixo neste ano. Quando ocorrem crises, o algodão costuma ser a primeiro produto afetado, pois não é considerado de primeira necessidade, ao contrário dos alimentos.

Na mesma bolsa, o café caiu 2,75%. Depois da alta de mais de 2% na segunda-feira, os investidores embolsaram lucros. O suco de laranja aprofundou as perdas do pregão anterior e recuou 0,74%, fechando no menor nível em cinco meses.

De acordo com o Departamento de Citros da Flórida, as vendas de suco nos EUA caíram 4,8% em volume e 2,1% em receita em setembro ante o mesmo mês de 2011. Já o cacau subiu 1,70%, sustentando por dados técnicos. Os estoques certificados da bolsa não foram atingidos por inundações na costa leste norte-americana, como se temia, mas o mercado ainda avalia a possibilidade de um ligeiro déficit de oferta no atual ciclo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.