Com poucos negócios, mercado teve dia de cautela

O mercado financeiro no Brasil reduziu o ritmo dos negócios nesta segunda-feira por causa dos feriados em Londres e Nova York. Sem o investidor estrangeiro, o volume de negócios foi reduzido. Mas a agenda desta semana, carregada de indicadores econômicos tanto no Brasil como nos EUA, acabou levando os investidores a adotarem uma atitude de cautela.Com isso, o dólar comercial fechou em alta de 1,56%, cotado a R$ 2,2750. Durante o dia a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 2,2910 e a mínima de R$ 2,2360. Com o resultado de hoje, o dólar acumula alta de 9,01% em maio. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o pregão em queda de 1,25%.Internamente, amanhã sai o IGP-M de maio e, nos EUA, o índice de confiança do consumidor de maio. Na quarta-feira, os destaques locais são os dados do PIB do Brasil no 1º trimestre, a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que definirá a Selic, a taxa básica de juros da economia, até a próxima reunião em 18 e 19 de julho. Nos Estados Unidos, destaque também para a ata da última reunião do banco central (Fed), que elevou os juros do país no início de maio.Para a reunião do Copom, as expectativas de 48 de um total de 50 instituições financeiras consultadas pela Agência Estado são de queda de 0,50 ponto porcentual, dos atuais 15,75% ao ano para 15,25%. Se for confirmada esta previsão, a Selic voltará ao nível em que se encontrava em janeiro e fevereiro de 2001 e também marcará a redução do ritmo de afrouxamento monetário, depois de dois meses consecutivos com cortes de 0,75 ponto porcentual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.