Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Puxada por alimentos e transporte, inflação de janeiro tem a maior alta mensal em 13 anos

Em janeiro, os preços subiram 1,27%; no acumulado em 12 meses, IPCA está em 10,71%, valor acima do teto da meta do governo

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2016 | 09h10

RIO - A inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) voltou a ser pressionada no início de ano e registrou alta de 1,27% em janeiro, ante uma variação de 0,96% em dezembro do ano passado. Esta foi a maior taxa de inflação para janeiro desde 2003, quando foi de 2,25%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado, a taxa acumulada em 12 meses ficou em 10,71%, muito acima do teto da meta estipulada pelo governo, de 6,5%. Em 2015, a inflação fechou em 10,67%, a maior desde 2002. A taxa mensal ficou acima do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que iam de 0,94% a 1,21%.

Os grupos Alimentação e Bebidas, com alta de 2,28%, e Transportes, com 1,77%, tiveram o maior peso no resultado do mês. Alimentação e Bebidas, inclusive, não registrava um avanço tão forte desde dezembro de 2002, quando subiu 3,91%. Contando somente os meses de janeiro, foi a maior alta desde o início do Plano Real. Entre as altas mais expressivas, aparecem a cenoura (32,64%), o tomate (27,27%), a cebola (22,05%) e a batata-inglesa (14,78%). 

No grupo Transportes, o resultado foi puxado pelo transporte público, que subiu 3,84% em janeiro, e pelos combustíveis, com 2,11%. Os reajustes praticados no início do ano fizeram os transportes públicos pesarem mais no bolso das famílias em janeiro. As tarifas dos ônibus urbanos ficaram 5,61% mais caras no mês. O item teve o maior impacto sobre a inflação de janeiro, uma contribuição de 0,14 ponto porcentual para a alta de 1,27% do IPCA no período.

Os consumidores do Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, São Paulo e Recife pagaram mais pelas passagens de ônibus urbano em janeiro. As tarifas dos ônibus intermunicipais também subiram, 6,14%, refletindo reajustes em cinco regiões pesquisadas.

 

Mais conteúdo sobre:
InflaçãoIpcaIbge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.