Arquivo/Agência Brasil
Arquivo/Agência Brasil

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Com queda nas importações, balança comercial registra superávit de R$ 6 bi em setembro

Resultado é o maior para o mês na série histórica, iniciada em 1989; no acumulado do ano, o superávit já soma US$ 42,445 bilhões

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

01 de outubro de 2020 | 15h47

BRASÍLIA - Com a queda contínua nas importações devido à pandemia da covid-19, a balança comercial brasileira registrou mais um superávit recorde em setembro. As exportações superaram as importações em US$ 6,164 bilhões, o maior resultado para o mês na série iniciada em 1989. No ano, o superávit já soma US$ 42,445 bilhões.

O dado de setembro ficou dentro do intervalo das projeções de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que previam saldo positivo de US$ 3,90 bilhões a US$ 8,10 bilhões. A mediana indicava superávit de US$ 7,20 bilhões no mês passado.

Apesar do recorde, tanto as exportações quanto as importações registraram quedas na média diária em comparação a setembro de 2019. As compras vindas do exterior, porém, desabaram em maior magnitude, o que fez a balança pender para o lado positivo. Em valores absolutos, as exportações somaram US$ 18,459 bilhões em setembro, enquanto as importações ficaram em US$ 12,296 bilhões.

A média diária das importações caiu 25,5% em relação a setembro do ano passado, com tombo de 50,0% na indústria extrativa e queda de 24,8% na indústria de transformação. A média diária de importações da agropecuárias caiu 2,8%, sempre na comparação com setembro de 2019.

Já no caso das exportações, a queda foi de 9,1%, puxada pela indústria de transformação (-18,7%). A agricultura teve alta de 3,2% na média diária, enquanto a indústria extrativa observou aumento de 9,2%.

Em setembro de 2019, o saldo positivo da balança havia ficado em US$ 3,803 bilhões. O Ministério da Economia divulgou ainda os superávits de US$ 977 milhões na 4ª semana de setembro (21 a 27) e de US$ 527 milhões na 5ª semana (28 a 30).

Projeções

O Brasil deve registrar um saldo positivo de US$ 55,0 bilhões na balança comercial em 2020, segundo a nova previsão da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

O valor é levemente abaixo da projeção que havia sido divulgada em julho, que era positiva em US$ 55,4 bilhões, mas ainda melhor que o estimado no início do ano (US$ 48,1 bilhões).

Na nova previsão, a Economia aponta para uma queda menor tanto nas exportações quanto nas importações, na comparação com 2019.

As exportações neste ano devem somar US$ 210,7 bilhões, enquanto as importações, US$ 155,7 bilhões. Antes, essas projeções eram de US$ 202,5 bilhões e de US$ 147,1 bilhões, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.