Renato Cerqueira/Futura Press
Renato Cerqueira/Futura Press

Com reforma da Previdência, Ibovespa atinge nova marca recorde

Após bater recorde de 106 mil pontos no último dia 21, Bolsa segue avançando

Maria Regina Silva, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2019 | 11h59

O Ibovespa acelera o ritmo nesta quarta-feira, 23, enquanto o investidor local espera por uma definição da reforma da Previdência e as Bolsas de Nova York renovam máximas. Os senadores se reuniram novamente para discutir duas propostas de mudança na reforma com potencial de reduzir a economia prevista de R$ 800,3 bilhões em dez anos.

 

 

Às 11h48, o Ibovespa tinha alta de 0,34%, chegando aos 107.744,80 pontos - a  máxima do dia foi de 107.958,82 pontos. O dólar caía 0,21%, sendo cotado a R$ 4,0671.

Inicialmente, duas propostas de alteração na reforma da Previdência estavam na pauta do dia, mas a Rede, autora de um deles, retirou o trecho após acordo fechado entre governo e oposição.

O outro, apresentado pelo PT, busca garantir aposentadoria especial a trabalhadores em atividades com grau de periculosidade. Nesse caso, houve acordo para ser aprovado no plenário, que está reunido. O texto principal foi aprovado em segundo turno na noite de terça por 60 votos favoráveis e 19 contrários.

Além disso, o mercado acompanha a Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto de lei que atualiza o marco do saneamento básico. O deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), relator da proposta, estuda fazer mudanças no parecer que apresentou há duas semanas envolvendo, entre outros pontos, as metas de universalização, conforme apurou o Estadão/Broadcast.

Também fica no radar o julgamento no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) de três ações que discutem a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, medida considerada um dos pilares da Operação Lava Jato no combate à impunidade. Entidades interessadas na causa, a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) vão se manifestar na primeira parte da sessão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.