finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Com sócio egípcio, Eike investirá US$ 3 bi em fábrica de fertilizante

Orascom Construction Industries será parceira da EBX em projeto na área industrial do Porto do Açu, no Rio

ALEXANDRE RODRIGUES / RIO, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2011 | 03h02

A EBX, holding do empresário Eike Batista, anunciou ontem uma parceria com o grupo egípcio Orascom Construction Industries (OCI) para construir um complexo de produção de fertilizantes nitrogenados na área industrial do Porto do Açu, em São João da Barra, litoral norte do Rio. Segundo a EBX, o investimento será de US$ 3 bilhões.

Pelo acordo, os dois grupos pretendem formar uma joint venture para erguer no Açu "um complexo integrado estado da arte" para a produção de até 3 milhões de toneladas de fertilizantes por ano com um portfólio diversificado de produtos nitrogenados. A concretização da parceria está condicionada a um processo de due diligence e elaboração da documentação final, bem como todas as aprovações societárias e regulatórias aplicáveis, informou a EBX.

Sem dar muitos detalhes sobre a sociedade, a empresa também afirmou que o projeto estará sujeito "aos mais elevados padrões ambientais".

O Porto do Açu está sendo construído pela LLX, empresa de logística do grupo de Eike Batista que tem atraído indústrias para seu entorno. No caso da indústria de fertilizantes, está entre os atrativos a proximidade das áreas de produção de petróleo e a conexão com ferrovias e rodovias para a distribuição dos produtos para áreas agrícolas.

O empresário comemorou a atração de mais uma empresa para o complexo industrial do entorno do Porto do Açu, seu projeto mais ambicioso, no qual são aplicados US$ 40 bilhões. "Acreditamos firmemente na promoção de indústrias de valor agregado no Brasil com o objetivo de criar empregos sustentáveis, transferência de tecnologia e controle de nossos próprios suprimentos estratégicos de commodities-chave necessárias ao crescimento e desenvolvimento do Brasil no longo prazo", declarou em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.