Felipe Rau/ Estadão
Felipe Rau/ Estadão

Comando Militar do Sul do Exército diz esperar negociação com caminhoneiros e não uso de força

Em vídeo publicado na internet, instituição pede que caminhoneiros colaborem

Daniel Galvão, O Estado de S. Paulo

27 Maio 2018 | 17h48

Comando Militar do Sul (CMS) do Exército Brasileiro afirmou, num vídeo divulgado na sua página oficial na internet, que espera resolver o "problema" causado com a greve de caminhoneiros na região pela negociação, e não pelo emprego da força. O CMS pede que os caminhoneiros colaborem e afirma que é "necessário que se entenda" que é por meio do diálogo que se chegará a uma solução que beneficie a todos. O CMS atua no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

No registro, a oficial Felício afirma que o Exército, por intermédio do Comando Militar do Sul, participa de um esforço integrado, "cujo objetivo é o retorno à normalidade e garantir o abastecimento de itens básicos". A militar diz que a população do Sul sente a falta de combustíveis, alimentos, remédios e insumos para a produção de água e até mesmo oxigênio, "que salva a vida de pessoas hospitalizadas". A oficial diz que essa falta é sentida, principalmente, pela "parcela mais carente da nossa gente".

++ General admite que contingente das Forças Armadas é pequeno, mas não existe risco de erros

"Nos dirigimos a você caminhoneiro, trabalhador e cidadão de bem, que, com seu esforço diário, faz com que nosso País seja abastecido com todo o tipo de gêneros alimentícios, combustíveis, medicamentos e itens de necessidade básica da população", declara a militar, no vídeo. "Você, com o seu suor do seu trabalho, traz conforto ao povo brasileiro", prossegue.

"Pedimos a você que colabore. Tenha a certeza que os comboios escoltados pela Polícia Rodoviária Federal [PRF], Polícias Militares [PMs] e também por tropas do Exército Brasileiro estão sendo conduzidos por brasileiros como você", acentua a oficial no vídeo. De acordo com o comunicado, os homens e mulheres "receberam essa missão". "Pedimos a vocês, mais uma vez, que colaborem."

++ No WhatsApp, caminhoneiros dizem que greve está longe do fim

"O Exército Brasileiro é nosso, é seu, é de todo cidadão. É uma instituição formada por brasileiros que trabalham junto com você para, além da proteção do nosso País, para o sustento de suas famílias. Colabore. Você pode confiar no Exército Brasileiro", finaliza. Ao fim do pronunciamento, aparece o brasão do CMS, também conhecido como Elite do Combate Convencional, e a frase "O seu Exército nunca para".

Greve dos Caminhoneiros AO VIVO

Acompanhe aqui outras notícias sobre a greve dos caminhoneiros minuto a minuto.

Mais conteúdo sobre:
caminhoneiro greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.