Combate à inflação é tema de reunião de BCs

Os principais presidentes de bancos centrais do mundo analisam hoje, em uma reunião na Basiléia, Suíça, a desaceleração econômica global e a disparada da inflação na maioria dos países, em decorrência do encarecimento de matérias-primas (commodities), como o petróleo. O encontro ocorre na sede do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês).Os dois movimentos simultâneos - preços em elevação e atividade em desaceleração - têm levado grandes dificuldades aos condutores de política monetária. Talvez a tarefa mais difícil do momento seja a do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), que enfrenta simultaneamente uma desaceleração econômica que ameaça virar recessão e uma alta dos índices de preços. Um dos grandes desafios pelos quais passa a economia global decorre da alta dos preços do petróleo. Na sexta-feira (dia 27), o barril atingiu novo recorde no mercado futuro nova-iorquino, cotado por US$ 140,21. Durante a sessão, porém, a cotação chegou a US$ 142,99 o barril. Segundo alguns analistas, o barril pode chegar a US$ 200 ainda este ano.Outro desafio diz respeito à crise de crédito que derivou dos problemas no setor de hipotecas de segunda linha (subprime) dos Estados Unidos. Diversos bancos, como o norte-americano Citigroup e o suíço UBS, tiveram grandes perdas. Para compensá-las, reduziram o volume de empréstimos, o que desacelerou a atividade econômica, sobretudo nos EUA. Apesar disso, no primeiro trimestre, a maior economia do mundo cresceu 1%, acima do esperado pelos analistas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.