Combate à pobreza será foco da próxima cúpula do G-20

A próxima cúpula do G-20 vai focar sua agenda no combate à pobreza gerada pela crise e não tratará mais apenas de questões financeiras. O grupo, que se reunirá no segundo semestre, nos Estados Unidos, para sua terceira cúpula, decidiu incluir em sua agenda de trabalho a questão da pobreza, com o objetivo de dar uma resposta aos países em desenvolvimento que estão sofrendo com a crise.

JAMIL CHADE, Agencia Estado

28 de junho de 2009 | 17h28

Nos últimos dois dias, negociadores do G-20 estiveram reunidos na Basileia às margens da reunião anual dos bancos centrais. O objetivo foi o de iniciar os trabalhos para preparar a cúpula que ocorre em outubro em Pittsburg. Mas com a crise financeira se transformando em uma crise social, a percepção é de que não há mais como deixar o tema de fora. Entre 2007 e 2009, 59 milhões de pessoas perderiam o emprego segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Para a FAO, o número de famintos irá superar pela primeira vez a marca de 1 bilhão de pessoas. Já o Banco Mundial estima que 100 milhões de pessoas cairão abaixo da linha da pobreza depois da crise. A ideia que será trabalhada é a de fortalecer os programas de combate à pobreza, sob o risco de a crise desfazer todos os avanços no mundo nos últimos dez anos.

Outro ponto que será tratado é a situação dos países mais pobres. A crise gerou a queda dos valores de commodities que, agora, fizeram despencar a renda desses países. Durante as reuniões, o Brasil fez questão de insistir que o G-20 é o fórum adequado para tratar da crise e da reforma internacional. Nos últimos meses, pressões nos bastidores indicaram que países ricos gostariam de voltar a ver o tema ser tratado em um grupo mais restrito, como o G8.

Tudo o que sabemos sobre:
criseG-20pobreza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.