Combustíveis devem aumentar

O governo já está com quase tudo pronto para anunciar o terceiro reajuste dos combustíveis do ano. Mas ainda falta definir de quanto será esse aumento. Esse porcentual vai depender de uma decisão política, levando-se em conta a necessidade de ajustar os preços dos combustíveis à alta do petróleo no mercado internacional, além da alta do dólar, e o desejo do presidente de "segurar o quanto puder" o novo reajuste.Pelos cálculos dos técnicos, o aumento deverá ser de até 7% nas bombas para a gasolina. O diesel e o gás de cozinha (GLP) terão de sofrer reajuste maior. Por causa dos subsídios concedidos pelo governo, a conta do gás vem amargando saldos negativos consecutivos de, em média, R$ 170 milhões ao mês.O governo assumiu um compromisso com o Fundo Monetário Internacional (FMI) de registrar, no ano que vem, saldo positivo na conta petróleo (PPE). As projeções, porém, são de que a PPE fechará este ano com déficit de R$ 1,2 bilhão. O reajuste a ser anunciado servirá para reverter, pelo menos em parte, esse saldo negativo e criar condições para cumprir o objetivo de 2001. O compromisso de superávit foi assumido porque a PPE precisa ter saldo suficiente para abater a dívida que o Tesouro tem com a Petrobrás até o fim de 2001, quando a comercialização dos derivados será totalmente aberta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.