Combustíveis: nova forma de reajuste

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Cláudio Considera, admitiu que o sistema de ajuste trimestral para o preço dos combustíveis que será praticado a partir de abril do próximo ano é uma forma clara de indexação. Mesmo assim, o secretário acredita que a indexação ainda é melhor do que submeter o mercado interno à liberdade dos preços, que sofreriam muitas oscilações devido às incertezas das cotações do petróleo. A partir de 5 de abril de 2001, o governo poderá ajustar o preço dos combustíveis no mercado interno a cada três meses. O aumento ou a redução dos preços dependerá das oscilações da cotação do petróleo e da taxa de câmbio. Pelos cálculos do governo, se o preço médio do barril ficar abaixo de US$ 27,50 e a taxa de câmbio for de R$ 2,00 por dólar, haverá redução do preço da gasolina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.