Combustíveis vão subir 2,2% em média

Duas semanas depois do veto do presidente Fernando Henrique Cardoso, a Petrobras põe em prática o primeiro aumento no preço dagasolina pós-abertura de mercado. O porcentual de 2,2% em média é quase o mesmo que o anunciado há 12 dias, de 2,28%. O reajuste começa a valer à meia-noite de sexta-feira. O impacto nas bombas, na avaliação da Federação Nacional do Comércio Varejista de Combustíveis (Fecombustíveis), deve variar entre 1,5% e 2%.Os motivos para o reajuste são os mesmos do último anúncio: alta nas cotações do petróleo e seus derivados no mercado internacional e do dólar no Brasil nos últimos três meses, além da equalização do preço interno com os da concorrência.No início do ano, a estatal reduziu o preço dagasolina em 25%, porcentual calculado com base na evolução do mercado nos últimos meses de2001. A nova política de preços da companhia prevê o acompanhamento freqüente do mercadointernacional e variações no Brasil quando o movimento externo interferir nos ganhos da companhia.O reajuste anunciado anteriormente não chegou a ser posto em prática devido a uma confusãoenvolvendo o presidente da Petrobras, Francisco Gros, e os ministros da Casa Civil, Pedro Parente, e de Minas e Energia, José Jorge ? membros do Conselho de Administração da companhia. Depois de conversarem sobre o reajuste de 2,28%, os três esqueceram de avisar Fernando Henrique, que havia prometido à população uma redução de 20% no preço da gasolina. Até a semana passada, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o porcentual de queda era de apenas 15%.Desta vez, o presidente foi avisado do aumento por José Jorge e pediu apenas que se explique à população os motivos. O novo preço da gasolina chegou às distribuidoras de combustíveis às seis da tarde de hoje.Segundo um executivo de uma distribuidora, o aumento será de 2,25% em São Paulo e de 2,22% noRio.Esse porcentual, porém, refere-se ao preço da distribuição. O quanto a gasolina vai cair nospostos depende do comportamento de cada região.Leia a nota da Petrobras explicando o novo aumento do preço dos derivados de petróleo:?O novo preço da gasolina nas refinarias vigora a partir de sábado. A Petrobras informa que, a partir de zero hora de sábado, dia 2, o preço da gasolina em suas refinarias terá um reajuste médio de 2,2%.O preço da gasolina é diretamente afetado pela cotação internacionao do petróleo e seus derivados e pela variação cambial. Quando essas cotações estão em alta e o dólar sobe, o preço da gasolina aumenta. Quando as cotações estão em baixa o preço da gasolina cai.Por isso, ao final do ano passado,quando as cotações internacionais estavam em baixa e o valor do dólar também a Petrobras reduziu o preço da gasolina em 25% nas refinarias.O aumento médio de 2,2% anunciado agora não chega nem a um décimo da redução que a Petrobraspraticou no início do ano.Com a abertura das importações, desde 1º de janeiro de 2002, definir quando e como subir ou reduzir seus preços é uma decisão comercial de cada produtor ou importador, inclusive a Petrobrás. Os preços da Petrobras permanecerão sempre alinhados com o mercado e competitivos para enfrentar a concorrência.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.