Começa prazo de 150 dias para Nestlé vender Garoto

A publicação, hoje, no Diário Oficial da União, da decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) sobre a compra da Chocolates Garoto pela Nestlé, inicia a contagem do prazo de 150 dias que a multinacional suíça tem para vender a empresa capixaba. A publicação também incentivará a Nestlé a entrar com recurso, isso porque um dos advogados que representam a empresa, Carlos Francisco Magalhães, informou na semana passada que só esperava a publicação do acórdão para decidir que tipo de recurso apresentará. Magalhães afirmou que a Nestlé acredita na reversão da decisão. Um recurso na Justiça poderá pelo menos interromper a contagem do prazo e dar mais tempo à Nestlé. É o que pode acontecer se o subprocurador geral da República Moacir Guimarães Morais Filho entrar com o pedido de embargo de declaração durante a semana. Na última quinta-feira, ele informou, no Cade, que fará a solicitação para pedir esclarecimentos dos conselheiros sobre eventuais pontos obscuros ou contraditórios nos votos. Morais Filho disse esperar somente que os autos dos votos sejam entregues a ele para pedir o embargo. Toda a movimentação em torno do caso está sendo acompanhada por possíveis compradores da Garoto, caso a decisão do Cade se confirme. O presidente da divisão brasileira da Cadbury, Marcos Grasso, afirmou em entrevista ao Estado, publicada ontem, que a empresa está na disputa pela Garoto e que espera apenas a Nestlé colocá-la à venda para fazer uma oferta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.