Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Começam as pressões para alta no preço do aço

Fabricantes de veículos começaram a receber pedidos de reajuste de 10% no preço do aço. Embora o mercado de carros esteja aquecido, as montadoras temem que o repasse do aumento para o consumidor diminua o consumo interno e a competitividade externa, já prejudicada pelo câmbio. Como as negociações estão no início, nenhuma montadora comenta o tema nem as justificativas do pedido. Segundo o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, o setor está preocupado.?Um carro consome, em média, 650 quilos de aço e a participação dessa matéria-prima no seu custo é relevante?, afirma Schneider. Segundo ele, as montadoras compram entre 4 a 5 milhões de toneladas de aço por ano, cerca de 20% da produção nacional. Segundo ele, de 2002 a 2007, o preço do aço subiu 144%, enquanto os automóveis tiveram reajustes de 73%.O reajuste de 65% no preço do ferro reflete o aumento entre 9% e 16% no aço, estima o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), Marco Polo de Mello Lopes. Ele reitera que ainda é cedo para se saber quando e se as siderúrgicas vão repassar essa faixa de variação, pois o aumento vai depender de negociações para cada tipo de produto siderúrgico. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.