Comércio argentino promete greve para esta quinta-feira

A Federação das Câmaras de Comércio da capital federal e das províncias argentinas anunciou que fará uma greve geral de compras nesta quinta-feira. A paralisação terá como alvo "os aumentos de preços especulativos dos fornecedores, que geram desabastecimento", segundo comunicado da entidade.O que os argentinos não entendem é por que produtos tradicionais do país, como a farinha de trigo, estão tendo aumentos por conta da desvalorização do peso. O quilo da farinha passou de 60 centavos para 1 peso - uma alta que deve, em breve, incidir também sobre o preço do pão.Carne é outro produto com aumentos inexplicáveis: o quilo do filé subiu de 3,70 para 4,80. Até a erva-mate para chimarrão, um produto muito consumido pelos habitantes dos pampas argentinos e gaúchos, aumentou de 1,90 para 2,30 o quilo. Os produtores nacionais parecem estar fazendo estoque e preferindo as vendas para o exterior, atraídos pela possibilidade de ganhar mais em dólar. No caso do trigo, 80% da produção já era destinada à exportação, e os produtores fixaram o preço em dólar, mesmo para os moinhos locais.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.