Comércio bate recorde de vendas em 2000

Os supermercados e as lojas de departamentos da região metropolitana de São Paulo bateram todos os recordes de faturamento neste ano, superando até os melhores momentos do Plano Real. A média do comércio varejista em geral, nos onze primeiros meses de 2000, ficou cerca de 10% acima da média de todo o período compreendido de 1995 a 1999. Este ano, até novembro, o desempenho das lojas de departamentos está 26,14% acima do mesmo período do ano passado. Os supermercados, por sua vez, aumentaram suas vendas reais este ano em 17,29%, sobre onze meses de 1999. O crescimento do varejo como um todo só não é maior porque as vendas reais do comércio de veículos, em ritmo de recuperação hoje, estão longe do pico de vendas que alcançou em janeiro de 1997. Os dados fazem parte da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV), da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FCESP), realizada em parceria com a Agência Estado. Esse crescimento do comércio geral, segundo a economista Rosana Curzel, da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FCESP), mostra que a média do comércio de bens não duráveis - alimentos e remédios - chega a mais 41% em onze meses de 2000 contra a média de vendas entre janeiro de 1995 e dezembro de 1999; os bens duráveis (aparelhos eletroeletrônicos e eletrodomésticos) ficaram na média com suas vendas em 2000 14,24% acima da média obtida nos meses compreendidos entre 1995 e 1999.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.