Comércio Brasil/China chegará a US$ 10 bi, prevê embaixador

A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China marcará a entrada dos dois países em um novo momento, caracterizado pela interação bilateral e por uma longa e complexa pauta comum. A previsão é do embaixador Edmundo Fujita, chefe do Departamento de Ásia e Oceania do Ministério das Relações Exteriores. No ano passado, o comércio bilateral entre os países alcançou US$ 6,7 bilhões ? 385 vezes mais que em 1974. Para 2005, a expectativa do embaixador é que as cifras cheguem a US$ 10 bilhões.Segundo a Agência de Promoção de Exportações do Brasil (Apex), no ano passado 1.638 empresas brasileiras efetuaram vendas com os chineses, 21% a mais que em 2002. Isso faz da China o maior parceiro comercial do Brasil na Ásia e o terceiro maior mercado de destino das exportações brasileiras, atrás apenas dos Estados Unidos e da Argentina. No sentindo oposto, o Brasil é o maior parceiro comercial da China na América Latina e garante o abastecimento em commodities agrícolas e minerais metálicas.As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.