Comércio do Rio deve contratar 640 mil temporários

Estudo realizado pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) revelou que este ano o comércio de bens, serviços e turismo do Estado do Rio de Janeiro deverá contratar, incluindo todos os ramos de atividade, cerca de 640 mil empregados temporários para trabalhar na época das festas de fim de ano e durante todo o verão. A estimativa reflete o otimismo do comércio frente à recuperação gradual do faturamento nos últimos meses deste ano e à expectativa positiva do consumidor. "Esse resultado expressivo tem dois motivos. O primeiro diz respeito ao fato de que, ao longo do ano, o setor do comércio passou por profundos ajustes, de modo que boa parte dessas contratações são uma forma de repor os postos de trabalho perdidos anteriormente. O segundo motivo reflete o fato de que não somente o Natal é a grande festa do ano para o comércio, mas o verão é a estação mais importante para a economia do Estado do Rio, principalmente na área de turismo. A combinação desses dois fatores, associada ao otimismo que parece ser a marca deste Natal para o comércio, motivaram essa estimativa tão alta na quantidade de empregos temporários a serem criados", explica o presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz.Especificamente em relação ao fim de ano, o Instituto Fecomércio coordenou uma pesquisa envolvendo nove ramos de atividade do comércio de bens, serviços e turismo de todo o Estado do Rio. O levantamento revelou que, das 991 empresas consultadas, 40,65% pretendem contratar funcionários temporários para esse período, contra 50,20% que não planejam fazer essas admissões e 9,15% que ainda não decidiram. Foram entrevistados os responsáveis por empresas dos setores de Supermercado, Roupa, Calçado, CD, Magazine, Eletrodoméstico, Cine/Foto/Som, Cabeleireiro e Perfumaria, localizadas nas regiões Metropolitana, de Cabo Frio, Três Rios, Volta Redonda, Petrópolis, Nova Friburgo, Angra dos Reis, Itaperuna e Campos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.