Comércio do Rio está otimista com relação ao Natal

O comércio da região metropolitana do Rio de Janeiro está mais otimista em relação ao resultado das vendas do Natal esse ano, ante o ano passado. É o que mostra pesquisa sobre o tema divulgada hoje pela Federação do Comércio do Estado do Rio (Fecomércio-RJ). De acordo com a entidade, a expectativa entre as 1.555 empresas entrevistadas é que o faturamento aumente 10%, em média, na comparação com o Natal de 2003. A Fecomércio informou ainda que os setores que apresentam projeções mais otimistas são os de Eletrodoméstico, Roupa, Magazine, Decoração, Perfumaria e Calçado. De acordo com a pesquisa, entre as empresas pesquisadas que fazem regularmente encomendas especiais para o fim de ano, 41% aumentaram os pedidos para o Natal de 2004, ante os pedidos realizados no mesmo período no ano passado. Na avaliação da federação, esse percentual ainda pode subir, porque 16% dos analisados informaram que ainda não tinham decidido se iam aumentar as encomendas, no momento da pesquisa. Em média, os pedidos realizados este ano, pelas empresas entrevistadas já superam os de 2003 em 6%, na comparação com igual pesquisa realizada no ano passado pela instituição. Em comunicado, o presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz explicou que "apesar das recentes elevações dos juros, acredita-se que o aumento do poder aquisitivo e a desaceleração da inflação observada este ano trarão melhora para o comércio neste Natal". Para ele, o impacto da elevação da taxa básica de juros (Selic), anunciado recentemente, deverá ser observado mais fortemente em 2005."Neste fim de ano, os fatores que mais deverão influenciar o consumo serão o aumento do emprego e dos ganhos reais com a elevação salarial acima da inflação, pois o momento econômico positivo deu a diversas categorias um maior poder de barganha na negociação salarial", considerou Diniz, no comunicado. Participaram da pesquisa estabelecimentos pertencentes a 26 diferentes segmentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.