Comércio do RJ registra nono mês consecutivo de queda

O comércio do Estado do Rio de Janeiro teve queda de 3,10% no faturamento real em setembro, na comparação com igual período do ano passado, de acordo com estudos da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ). Foi o nono mês consecutivo de queda e no acumulado do ano, a redução foi de 6,25%. A Fecomércio-RJ observa, porém, que desde março os resultados negativos vêm se tornando cada vez menos expressivos e desta vez não foi diferente. Em agosto, a queda tinha sido de 3,92% ante igual mês de 2002. Em nota à imprensa, a entidade destaca que o setor de bens duráveis apresentou o melhor resultado do ano em setembro, apesar de ainda negativo. Foi de - 4,76% no mês passado contra -6,74% de agosto. Os melhores desempenhos foram dos ramos de eletrodomésticos e comércio automotivo, mais sensíveis à redução da taxa de juros e às medidas de ampliação do crédito. "O resultado de setembro, principalmente no grupo bens duráveis, indica o início de um processo de recuperação, que deverá se acentuar no último trimestre deste ano", afirma o presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz. "Assim, podemos esperar que os números de outubro e novembro já demonstrem certa estabilidade em relação ao mesmo período de 2002", disse. Ele lembra que 2002 não foi um ano bom para o comércio, o que torna a base de comparação fraca. O cálculo feito pela Fecomércio-RJ leva em conta os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), cujo resultado de agosto foi divulgado hoje, e os resultados da pesquisa Opinião do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, coordenada mensalmente pelo Instituto Fecomércio-RJ. Um convênio com o IBGE permite o cruzamento dos dados entre as duas pesquisas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.