Comércio eletrônico aposta no Natal

Os sites especializados em comércio eletrônico esperam um crescimento significativo no número de compras efetuadas até o Natal. Isso porque, os consumidores estão menos temerosos em adquirir produtos via Internet. Essa mudança no comportamento dos brasileiros deve-se principalmente à presença crescente da Internet no dia-a-dia dos usuários.Primeiro, o internauta visita a página para conhecê-la e somente depois disso efetua a compra, acredita o diretor-geral da Saraiva.com.br, Ledo Camargo. Nos últimos dois anos houve um crescimento de 150% no número de vendas pela rede, segundo o diretor de comércio eletrônico da e-Delphos - empresa especializada em Internet -, Helio Luiz Prandini Filho. A preferência dos brasileiros ainda é por aquisição de CDs. Em seguida, estão livros, equipamentos eletrônicos e brinquedos. Empresas acreditam num crescimento de 85% nas vendasUm estudo divulgado no mercado aponta que no fim deste ano as transações on-line movimentarão US$ 19,5 bilhões em todo o mundo. Isso significa um crescimento de 85% sobre o movimento registrado em 1999. Para conquistar esses clientes as lojas virtuais estão preocupadas em adicionar recursos, como segurança e entrega rápida, visando a enfrentar a alta demanda do período. Esta é uma tentativa clara de evitar o desempenho vergonhoso do ano passado, quando muitos consumidores receberam suas compras atrasadas, diz o diretor da e-Delphos.Uma das medidas adotadas por cerca de 68% do comércio eletrônico, de acordo com levantamento feito pela empresa, foi a instalação do sistema de rastreamento que acompanha a entrega da mercadoria. Como forma de proporcionar mais segurança ao consumidor, 12 grandes sites lançaram o Grupo Internet Segura, que pretende regulamentar as normas do setor.

Agencia Estado,

07 de dezembro de 2000 | 14h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.