Comércio mundial cresce menos de 3% em 2003, prevê OMC

O comércio internacional crescerá a uma taxa inferior a 3% em 2003. A previsão é da Organização Mundial do Comércio (OMC), que hoje publicou seu relatório anual e que mostra que o aumento dos fluxos de bens ainda está longe da média de crescimento da década de 90. Naqueles anos, o comércio aumentava em pelo menos 6% por ano no mundo. Segundo a OMC, parte do problema é a falta de crescimento da economia mundial. Mas outra parte se refere às instabilidades políticas que vive o mundo. A pneumonia atípica que atingiu a Ásia no começo do ano também terá uma repercussão para o comércio neste ano. Apesar do cenário negativo, a OMC indica que o comércio entre os países do Sul está crescendo a um rítmo mais acelerado que os fluxos entre os países ricos. Entre 1990 e 2001, o volume de comércio entre os países em desenvolvimento passou de 6,5% do total do comércio mundial para 10,5%. Mas esse crescimento não está ocorrendo em todas as regiões pobres do mundo. Grande parte do sucesso do Sul ocorre graças ao desempenho dos países asiáticos, principalmente a China, com quase 20% das exportações que ocorrem entre as economias do Sul. Dois terços de tudo o que os países em desenvolvimento comercializam é feito pela Ásia. O Mercosul representa 13% do comércio entre essa categoria de países e a América Latina só tem um desempenho melhor que o da África. RankingNo ranking dos maiores exportadores do mundo, o Brasil aparece apenas na 26ª posição, com 0,9% do comércio mundial. Na América Latina, a liderança é do México, em 13º lugar e com 2,5% das exportações mundiais. Estados Unidos, Alemanha e Japão são os três maiores exportadores do mundo e juntos vendem um quarto de tudo o que o mundo consume.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.