Comércio não espera bom desempenho para o final de ano

As encomendas do varejo à indústria este ano estão sendo adiadas. Pelo menos a metade dos comerciantes da Grande São Paulo ainda não realizou os pedidos visando as vendas de final de ano. Por sua vez, os estoques estão em níveis inferiores aos do ano passado, considerando o trimestre composto pelos meses de julho, agosto e setembro. Cerca de 70% dos varejistas têm a intenção de manter o mesmo patamar de encomendas em relação ao ano passado e apenas 14% vão elevar seus pedidos.Os dados são da pesquisa Composição de Vendas e Inadimplência (CVI), da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). Por conta da baixa expectativas para o final do ano, a maioria (70%) dos comerciantes da Grande São Paulo pretende recorrer a alguma estratégia para melhorar as vendas. Entre as alternativas estão descontos (24,6%), aumento do prazo de financiamento (5,1%) ou a redução dos preços dos produtos (4%). As promoções, de uma forma geral, serão adotadas por 22% dos comerciantes.Apesar de a situação atual parecer pior que a do ano passado, para os próximos 12 meses o varejista tem se mostrado otimista com relação ao cenário econômico ou ao panorama político. Aqueles que acreditam que a situação de sua própria empresa estará igual ou melhor nos próximos 12 meses totalizam 68,6%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.