Comércio prevê alta de 1,3% nas vendas para o Dia das Mães

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) mostrou que o setor está menos otimista com as vendas para os Dias das Mães neste ano. De acordo com sondagem realizada com 200 empresários do comércio da Região Metropolitana de São Paulo entre os dias 6 e 10 de maio, a expectativa é de que elas sejam apenas 1,3% maiores do que em 2005, quando o comércio constatou crescimento de 4,6% no movimento para a segunda data mais importante em vendas do ano, atrás apenas do Natal.Na avaliação da entidade, o elevado endividamento da população, que, de acordo com dados da Fecomercio-SP, atingiu 61% em abril, já começa a ser sentido nesta data. "As diversas modalidades de crédito, entre elas o consignado, ajudam por um lado, mas sufocam por outro, pois torna-se uma bola de neve", afirmou, em comunicado à imprensa, o presidente da entidade, Abram Szajman, ressaltando que, por ser uma data de forte apelo emocional, as compras de última hora podem elevar um pouco as vendas.Segundo a Fecomercio-SP, o baixo otimismo do empresariado se reflete ainda nas modalidades de pagamento mais esperadas para a data: o parcelamento no cartão de crédito aparece como a principal opção, com 48%; seguido pelo pagamento à vista (cheque, dinheiro ou cartão de débito), com 21%; cartão de crédito sem parcelamento, com 17%; e cheque pré-datado, com 11%.PublicidadeO cenário menos animador também pode ser constatado por meio do investimento feito pelos comerciantes em publicidade para a data: somente 29% dos entrevistados disseram que estão fazendo algum tipo de ação publicitária, enquanto, no Dia das Mães de 2005, 55% informaram que haviam usado esse recurso. O mesmo se pode dizer em relação ao estoque: enquanto para 47,9% dos empresários o estoque era maior, em 2005, apenas 34% aumentaram suas reservas visando a data neste ano.Na quarta-feira, a entidade já havia divulgado pesquisa, desta vez com consumidores paulistanos, que confirmou a possibilidade de queda nas vendas no Dia das Mães de 2006. No levantamento, feito com 800 pessoas, 58,1% dos entrevistados responderam que pretendem dar algum presente no Dia das Mães, contra 69% em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.