finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Comércio puxa alta do consumo de energia em outubro

O setor comercial liderou a expansão do consumo de energia elétrica em outubro, conforme dados divulgados hoje pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), com aumento de 7,5% em relação a igual mês do ano passado. No total acumulado nos dez meses do ano, a expansão ficou em 6,7%, e em 6,5% no período de 12 meses encerrados em outubro (sobre igual período anterior). O mercado como um todo, incluindo os segmentos residencial, industrial e "outros", registrou expansão de 6,0% em outubro (sobre outubro do ano passado). No acumulado em 10 meses a expansão foi de 5,2% e, em 12 meses, de 5,0%, conforme os dados da estatal, responsável pelo planejamento de longo prazo do setor no País.Apesar de o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, ter destacando o que ele chamou de "forte aumento" no consumo de energia pelo setor industrial, esse segmento foi o que apresentou menor variação em relação em outubro, embora sinalize aceleração em relação aos meses anteriores. No início do ano passado esse segmento estava crescendo ao ritmo de 3,5% a 4,0% ao ano e em outubro deste ano o aumento atingiu 5,0%, após alcançar uma variação de 5,8% em setembro. No período de dez meses até outubro, o setor industrial registrou variação de 4,7% (sobre os dez primeiros meses de 2006) e de 4,5% no período de 12 meses até outubro (sobre igual período anterior).Tolmasquim disse que o aumento no consumo do setor industrial, na verdade, tem sido até maior, já que a pesquisa da EPE não computa nesse dado a chamada "autoprodução", ou seja, a energia gerada pelas indústrias para o seu próprio consumo. Ele citou que a CST/Arcelor, por exemplo, aumentou a produção de aço em meados deste ano e o acréscimo no consumo de energia elétrica (em torno de 190 MW médios) foi suprido por produção interna.O setor residencial, por sua vez, registrou aumento de 5,7% em outubro em relação a outubro do ano passado, acumulando expansão de 6,1% no período de dez meses (janeiro a outubro) e de 6,0% no período de 12 meses, sobre igual período anterior. Já o segmento "outros", que inclui o consumo do governo, setor rural e iluminação pública, teve aumento de 8,2% em outubro (sobre outubro do ano passado), de 3,8% no acumulado em 10 meses e de 3,6% no período de 12 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.